Estação

Em “Estação”, os não-personagens convivem num lugar comum. O trabalho propõe o questionamento do encontro e do desencontro consigo mesmo, com o outro ou com o desconhecido (que muitas vezes nos é familiar). Os intérpretes contribuem trazendo nas bagagens suas lembranças e memórias afetivas. A partir dessas lembranças, cada um marca uma nova trajetória e desenha um novo contexto de relações. ESTAÇÃO nos leva ao lugar de onde se vai partir. Partir para liberar-se. Partir e continuar preso àquilo que nos faz partir.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: